Unidade de conservação
ESEC Caetés

A Estação Ecológica de Caetés (ESEC – Caetés) poderia ter sido transformada num aterro sanitário, mas graças ao empenho da Comunidade de Caetés I, de associações ambientalistas e de outras entidades, a obra foi embargada na década de 80. O Governo do Estado de Pernambuco adquiriu a área com seus 157 hectares e a transformou em Reserva Ecológica, com a promulgação da Lei nº 9.989/87. Em dezembro de 1998, através da Lei Estadual nº 11.622/98, a Reserva Ecológica passa para a categoria de manejo denominada Estação Ecológica permitindo, assim, a visitação pública.

O remanescente faz parte da Floresta Atlântica que em muitas regiões já desapareceu devido à ação do homem. Nele, podem ser encontrados significativos exemplares da flora e da fauna típicos da Região Nordeste. Além de contribuir para proteção dos recursos hídricos, a ESEC Caetés abriga atividades de educação ambiental conservacionista e de investigação científica, através de pesquisas sobre sua diversidade.

 

 

Objetivos da Unidade de Conservação

• Proteger e conservar belezas cênicas, espécies raras, em perigo ou ameaçadas de extinção.
• Conservar amostras em estado natural do ecossistema Mata Atlântica, preservando seu patrimônio genético e os seus recursos naturais.
• Realizar estudos qualitativos e quantitativos da flora e fauna, e demais recursos naturais.
• Realizar estudos dos aspectos socioeconômicos e culturais do entorno da ESEC Caetés.
• Realizar estudos comparativos entre os diversos ambientes presentes na ESEC Caetés, entre outras áreas da mesma região ocupadas ou modificadas pelo homem.
• Promover atividades de educação ambiental que proporcionem à comunidade local e aos visitantes, informações sobre o ecossistema Mata Atlântica, sua biodiversidade e seus recursos naturais, na perspectiva de demonstrar as inter-relações destes elementos entre si e com o homem.
• Receber visitantes, de acordo com as normas de utilização da UC, para desenvolvimento de atividades recreativas, culturais e educativas, que sejam compatíveis com a proteção da floresta existente.

 

 

O Plano de Manejo é o documento que estabelece o zoneamento, as normas de uso das áreas e o manejo dos recursos naturais das Unidades de Conservação, de acordo com os seus objetivos. Este plano deve abranger toda a área da Unidade, a sua zona de amortecimento e os corredores ecológicos, incluindo medidas com o fim de promover sua integração à vida econômica e social das comunidades vizinhas.
A primeira fase do Plano de manejo de Caetés dividiu a Unidade em zonas , de modo a compatibilizar os seus objetivos, através da adoção de programas de manejo com as condições gerais de uso. A designação de cada zona é baseada no seu potencial natural para atingir certos objetivos, assim como para atender necessidades específicas dos recursos naturais para proteção adequada dos frágeis ecossistemas e das espécies ameaçadas:

ZONA I – Zona de Uso Especial – (ZUE) – Corresponde à área onde já existiam edificações que seriam destinadas à infra-estrutura do aterro sanitário anteriormente previsto para a área. Destina-se à administração, apoio e manutenção das atividades programadas.

ZONA II – Zona de Uso Intensivo – (ZUI) – É constituída por áreas naturais ou alteradas pelo homem, devendo o ambiente ser mantido o mais próximo possível do natural. O objetivo geral de manejo é facilitar as atividades de educação ambiental e o intensivo, de maneira que tais atividades harmonizem com o ambiente natural, causando o menor impacto negativo possível.

ZONA III – Zona de Uso Extensivo – (ZUEX) – É constituída, em sua maior parte, por áreas naturais, podendo apresentar alguma alteração humana. Caracteriza-se como uma zona de transição entre a zona Primitiva e a zona de Uso Intensivo. O objetivo geral de manejo é manter um ambiente natural com o mínimo de impacto humano e, ao mesmo tempo, facilitar o acesso público e criar instalações para fins educacionais, de investigação, sem grandes concentrações de visitantes.

ZONA IV – Zona Primitiva – (ZPR) – É aquela onde tenha ocorrido pequena ou mínima intervenção humana, contendo espécies da flora e da fauna ou fenômenos naturais de grande valor científico. O objetivo geral de manejo é preservar os ecossistemas naturais e os recursos genéticos, sendo permitido o uso científico autorizado pela administração da Estação. É a zona dedicada à proteção integral do ecossistema, estando proibidos quaisquer tipos de edificações, com exceção de guaritas necessárias à fiscalização.

ZONA V – Zona de Recuperação (ZR) – É aquela que contém áreas consideravelmente alteradas pelo homem. É uma zona provisória pois, uma vez restaurada, será incorporada a uma das outras zonas. Tem como objetivo geral de manejo deter a degradação dos recursos naturais ou restaurar a área. Destina-se à aplicação de técnicas de recomposição florestal natural ou induzida.

Endereço da sede e Contatos
PE 18, KM 2,5 Caetés I – Paulista/PE
sandracaetes@cprh.pe.gov.br
(81)3182-9010/9012

Plano de Manejo

Conheça o Plano de Manejo da ESEC – Fase 1 – 2006

Conheça o Plano de Manejo ESEC – 2012

Conheça o Diploma Legal do ESEC Caetés

Conheça a Ficha Técnica da ESEC Caetés

Vídeos

Militando pela Conservação